terça-feira, 18 de outubro de 2011

Perdas...



CONTINUANDO...


Depois de uma hora de caminhada pela mata densa que cercava a região, finalmente chegaram ao ponto chave, onde toda a operação começava. Ali, verificaram novamente seus equipamentos e armas, vários explosivos e detonadores também pesavam em suas mochilas e após dez minutos, tudo estava checado e preparado.

Enquanto estavam se dirigindo ao local de partida, estavam a passos largos, quase correndo, mas agora, estavam caminhando lentamente, quase rastejando como cobras. Caminharam assim por uns 40 minutos e chegaram a uma cerca de arames, ali fizeram uma cautelosa parada e como haviam combinado, formaram dois grupos, o primeiro liderado pelo próprio sargento Alves e o outro pelo soldado Lima, e então foram em direções opostas, fazendo o registro do local, por fotos, vídeos e comentários em áudio, enviados instantaneamente para o satélite militar reservado para a missão, pois em seguida, o próximo esquadrão a entrar em campo, dependeria desses dados, corretamente coletados, para efetivar a invasão do local.

CONTINUA...


domingo, 16 de outubro de 2011

Perdas...



Mais um dia ali, parados, sem poder sair daquele prédio em ruínas. O local onde estavam só havia uma saída, um buraco na parede, feito provavelmente por um estouro de granada ou algo do gênero. Seu inimigo estava do lado de fora, fazendo rondas contínuas, pois provavelmente sabia que uma companhia retardatária se escondera na região, apenas não sabia a localização exata.
No inicio daquela batalha, eram seis soldados, um grupo relativamente pequeno, mandado para fazer reconhecimento de um possível campo de prisioneiros, os quais deveriam ser resgatados e então, o local deveria ser totalmente destruído. Cada missão com seu grupo específico. E o comandado pelo sargento Alves, era o especializado em reconhecimento e destruição. O primeiro esquadrão a chegar e o ultimo a sair.
Até então, todas as missões que receberam, foram cumpridas sem baixas e quase sem muito esforço, mas aquele dia foi diferente, desde cedo o soldado Rivera, um dos melhores da equipe, além de ser irmão mais novo do sargento, estava com um ar de preocupação, que afetava seus colegas, pois sabiam que ele conseguia sentir cheiro de problemas, muito antes de eles acontecerem.
Naquele dia saíram bem cedo, equipados e armados, a arte do reconhecimento de campo exigia uma habilidade que todos ali desenvolveram muito bem, desaparecer no meio da paisagem, ficavam irreconhecíveis.

CONTINUA...

domingo, 2 de outubro de 2011

Pão e circo?

Montagem: Apresentação do Coldplay RockinRio 2011 e Brasilia. Obs.: Não é uma comparação, é apenas para ilustrar o texto abaixo.



Enquanto curtimos o rock in Rio, a maioria deles curtem com a nossa cara e claro, com nosso dinheiro, com seus castelos, carros e contas no exterior. E a maioria de nós, tentando esquecer um pouco que isso existe. Não é uma crítica a quem assistiu, está assistindo, eu também estava curtindo um Coldplay (Y), mas é só para lembrar, o que está acontecendo. "Pão e circo?". Talvez, não exatamente, mas algo similar.








Obs.2: O texto acima, é uma opinião pessoal, sendo que cada um tem a sua. Adoro Coldplay e vi parte do show, e foi MUITO BOM! E outra, a política no Brasil está cada dia pior, decadente.
Ocorreu um erro neste gadget